sábado, 7 de maio de 2011

Fé, razão e sexo. É possível?


Quando se fala em fé e em razão, a primeira coisa que vem a cabeça é que elas são incapazes de partilhar o mesmo ser, ou seja, ou se possui fé ou se possui razão.
Esse pensamento é acertado quando a baixa cultura a respeito das coisas da igreja é sub-julgada pela razão do mundo. Sim, neste caso, fé e razão não podem compartilhar o mesmo ser.
Por outro lado essa idéia é perfeitamente aceitável quando se entende a igreja, a história, a tradição e o magistério. Neste caso SIM, fé e razão podem “andar de mãos dadas”, pois sabe-se e aceita-se o limite da fé e sabe-se e aceita-se o limite da razão. O que cabe a fé e só pode ser explicado pela fé, é de competência da fé, e o que cabe a razão compete a razão.
Diante dessa realidade arrisco a dizer que existe “fé racional”, ou melhor, “fé inteligente” e essa se aplica quando TODOS os aspectos de um assunto são colocados “a mesa” e, tendo conhecimento pleno da doutrina católica, é capaz de perceber as nuances de cada questão.

Mas como conseguir a Fé inteligente.
A resposta é simples. Pela instrução a respeito das coisas da igreja...

É bom lembrar que quando nos referimos a instrução, estamos nos referindo diretamente a catequese, pois a palavra catequese esta diretamente ligada a instrução, instrução essa que não vem da idéia de alguém, mas sim da compilação de um linda doutrina disposta no tão conhecido CIC (Catecismo da Igreja Católica). É essa a doutrina que temos de ensinar...

Se não concordamos com essa doutrina, NÃO podemos ser catequistas, pois estaremos ensinando segunda a nossa moral, o que além de não condizer com a missão assumida, pois falamos pela igreja, caracteriza um pecado grave, se este for consciente, pois pode levar outros (catequizandos) a perdição eterna.

Um exemplo disso são as questões ligadas à sexualidade.

Infelizmente há catequistas que defendem a liberação do sexo antes do casamento, ou ainda o uso de preservativos como meio de proteção.  E aqueles que defendem o aborto... (ufa..., sem comentários)

Deixando o aborto de lado e voltando as questões ligadas ao sexo, basicamente esses defendem tais idéias por 3 motivos prováveis: 1. Cometem o pecado contra a castidade e se respaldam na razão, ensinada pela mídia, para justificar seus atos. 2. A razão neste caso é maior que a fé, ou seja, há muita informação ligada ao “mundo” (prevenção, AIDS, método contraceptivo...) e pouca ligada à igreja. 3. Simplesmente desconhecem ou ignoram as instruções ensinadas no CIC.

O catequista que comete tal gafe, intencional ou não, se esquece do primordial. Ele “é cristão” ou pelo menos deveria ser.

E ai surge uma nova questão. O que é ser cristão?

Ao contrário do que muitos ensinam “ser cristão” não é apenas acreditar em Cristo, mas buscar, ainda que impossível, ser como Ele. E buscar ser como ele é “trazê-lo” ou melhor, trazer as suas idéias para essas questões.

Imaginemos...

O que Cristo falaria se fosse perguntado a Ele: Pode usar camisinha? Pode fazer sexo antes do casamento?

Talvez Cristo usasse uma de suas belas falas como: “Quem peca é escravo do pecado... (Jo 8, 34)” ou simplesmente Cristo responderia com um sonoro e manso NÃO, expondo que o amor a Deus deve transcender os desejos da carne e que o meio para conseguir vencer a tentação é a oração...

Claro que muitos dirão que Cristo não condenava as pessoas e isso é uma verdade, no entanto, ele sempre condenou as ações das pessoas se essas fossem erradas. Ele nunca deixou e nunca deixará de amar o pecador, mas sempre irá repudiar o pecado.

É isso, ser catequista é ser cristão, ou pelo menos procurar ser, em todo o seu intimo, e para ser cristão nos dias atuais e ainda catequista, não basta ter a fé do povo, que é boa e simples, mas é necessário possuir a fé “inteligente”, que se consegue por dois motivos. Primeiro é se instruindo tendo como base o CIC e segundo é orando, pedindo a Deus que nos dê a fé necessária para compreender a razão.

Abraços a todos e fiquem com Deus.

Carlos Garcia

4 comentários:

  1. Somente na maturidade da fé somos capazes de entender a dimensão do amor e respeito ao outro, assim como Jesus fez.

    Infelizmente a sociedade através da mídia banalizou o sexo a tal ponto que leva nossas crianças e adolescentes a uma visão distorcida de doação.

    Nós catequistas precisamos nos fortalecer na oração e estudo para não falarmos bobagem.

    Parabéns marido, você conseguiu ser claro e objetivo. Ser cristão é ter coragem de denunciar.

    Amo você,

    Eufelia.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Paz e Bem... tem um selinho lá no blog para você... Passa lá para pegar...
    http://catequistaroberto.blogspot.com
    Fique na Paz de Deus e no Amor de Maria
    Roberto

    ResponderExcluir
  3. Não concordo em absolutamente nada com este texto e nomeadamente com a religião cristã neste ponto. Infelizmente acho que a religião não acompanha a evolução da sociedade. Onde outrora o sexo era algo usado apenas para a procriação agora é um ato de amor pelo próximo. Não defendo o sexo com mil e uma pessoas, mas sim com a pessoa especial! Sou catequista! Sou cristão! Mas descordo em absoluto com com este ponto.

    ResponderExcluir
  4. Caro Anônimo.

    Sinto dizer, mas vc deve deixar de dar catequese ou mudar sua opinião, já que enquanto catequistas não devemos falar daquilo que achamos, mas daquilo que a igreja ensina e é exatamente isso que ela ensina. Enquanto a igreja, através de seu magistério, não opinar e tecer matéria diferente sobre o assunto, é assim que devemos ensinar.
    Quanto a evolução, pergunto? O que é evolução, segundo a sociedade???
    Segundo a sociedade a evolução é "casou, não deu certo, separa"
    Segundo a sociedade a evolução é "gravidez indesejada, simples, aborta"
    Segundo a sociedade a evolução é "matou, tem que morrer - pena de morte"
    Segundo a sociedade a evolução é "o importante é ser feliz, não importando os meios"
    Segundo a sociedade a evolução é "...tudo é relativo" será...???

    Lembre-se que a igreja não está para a sociedade, mas a sociedade está para a igreja (para quem é cristão, é claro)

    Quanto ao sexo para procriação... hummm - acredito que vc não leu o CIC (Catecismo da Igreja Católica) correto???

    Leia a matéria sobre sexualidade no CIC e depois comente.

    Abs.

    ResponderExcluir